IPSW – Igreja Presbiteriana do Sudoeste

Fale Conosco

jan 02 2018

Atitudes para um ano novo abençoado!

A cada novo ano as pessoas fazem promessas sem pensar no que aquilo vai implicar em suas vidas. Há uma diferença entre desejo e proposta de mudança. O desejo tem a ver com vontade e a proposta de mudança significa planejamento e organização para atingir o objetivo. É preciso planejar, começar e periodicamente fazer uma avaliação sobre o objetivo alcançado. Necessita preparar pra fazer a mudança, no sentido de organização, disciplina e estruturação de vida. Para isso a mente carece de dados específicos para começar a agir. Pensando assim, escrevo a respeito de algumas atitudes que necessariamente precisamos ter para alcançar um novo ano abençoado por Deus:

Em primeiro lugar, a fé – crer e confiar. Os discípulos de Jesus em determinada hora pediram a Ele, aumenta-nos a fé. A fé é o combustível básico que fará a vida do servo de Deus ser vitoriosa. Quem não tem fé não consegue andar nos caminhos de Deus, pois a exigência básica que a Bíblia faz é crer no Todo Poderoso: As Escrituras dizem: Ora, a fé é a certeza daquilo que se espera e a prova das coisas que não se vêm. “De fato, sem fé é impossível agradar a Deus – Hebreus 11.1,6. A fé vem pelo ouvir a mensagem, e a mensagem é ouvida mediante a palavra de Cristo – Romanos 10.17. Porque vivemos por fé, e não pelo que vemos – II Coríntios 5.7.

Nas palavras de João, Jesus disse: Quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou tem a vida eterna e não entra em juízo, mas já passou da morte para a vida. João 5.24, e ainda fala do amor de Deus pelo mundo enviando o Seu Filho para salvar todo o que n’Ele crer. João resume dizendo: Quem crê no Filho tem a vida eterna; já quem rejeita o Filho não verá a vida, mas a ira de Deus permanece sobre ele. João 3.36. O apóstolo Paulo ao ser indagado pelo carcereiro de Filipos, de como poderia ser salvo, ele disse que devia crer em Jesus. Escrevendo para a igreja de Éfeso disse que a salvação é pela graça, mediante a fé, sendo isso um dom de Deus.

Sem fé não se consegue avançar, não se consegue lutar a carreira que está proposta. A fé é um elemento indispensável para quem deseja viver para Deus. A fé torna o cristão mais forte, capacitando-o a suportar as adversidades e equipando-o a viver uma vida que agrada ao Senhor. A fé aumenta quando se lê a Bíblia e deixa que a Palavra de Deus tenha influência na vida. Quando a fé aumenta, se consegue ver muito mais além do que é natural, vê o sobrenatural de Deus em ação.

Abraão foi um homem de fé. Ele viveu crendo no sobrenatural, esperando ser o pai de uma multidão, quando nem se quer tinha um único filho. Já estava velho e avançado em anos, bem como Sarah sua esposa. Ele creu em Deus e isso lhe foi imputado para justiça. Jesus, nos dias do seu ministério terreno elogiou a fé encontrada nas pessoas. Notou o centurião que demonstrou fé, quando disse, não ser digno de que Jesus fosse a sua casa, para curar o servo que estava enfermo.

Em segundo lugar, o amor – amar a Deus e amar ao próximo. O amor é a força mais poderosa do mundo. É o elo que liga pessoas umas às outras e a Deus. O verdadeiro amor não depende de quem recebe amor. A pessoa que ama decide amar porque quer amar. O amor é uma decisão poderosa. Não existe um amor igual ao amor de Deus, porque só esse amor, através de Jesus, pode transformar vidas e completá-las. Deus é amor. Amar a Deus é obedecer as leis d’Ele. O amor é uma característica distintiva de Deus. Ele ama a todos da mesma maneira e o cristão também é chamado a amar. Quem não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor. 1 João 4.8 e ainda diz: Nós amamos porque ele nos amou primeiro. Se alguém afirmar: Eu amo a Deus, mas odiar seu irmão, é mentiroso, pois quem não ama seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê. 1 João 4.19-20.

Ao ser perguntado certa vez sobre o maior dos mandamentos, Jesus respondeu que o maior e o primeiro de todos os mandamentos era amar a Deus de todo o coração, de toda a alma e de todo o entendimento. E João diz que o amor a Deus consiste em obediência aos mandamentos de Deus, pois o homem fazendo isso chegaria a conhecer o amor que Deus tem por ele e permaneceria em Deus e Deus nele, sendo esse amor aperfeiçoado para que no dia do juízo haja confiança em Deus. Paulo diz que nem morte, nem vida, nem anjos, nem demônios pode separar os filhos de Deus do amor d’Ele, que está em Cristo Jesus.

Amar ao próximo é um mandamento e por isso, se deve obedecer. Se o homem ama a Deus, também tem que amar o próximo. Mas quem é o próximo? Muitas vezes pode se dar desculpas para a falta de amor em relação a alguém, dizendo que tal pessoa não é o próximo. O próximo é aquele que tem uma necessidade, esteja onde estiver. Quem ama intercede, ora e pede a Deus para abençoar o outro. A ordem é ame o seu próximo como a si mesmo. João escreve as palavras de Jesus que mandava os irmãos se amar mutuamente. Paulo exorta a igreja de Colossos a revestir-se do amor. Ele fala para os crentes em Roma que devem amar com sinceridade e dedicar-se uns aos outros com fraternidade.

João mais uma vez fala: Amados, amemos uns aos outros, pois o amor procede de Deus. Aquele que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. 1 João 4.7 Cristo mostrou como é amar dando a sua vida pelo homem, e por isso esse homem deve dar a sua vida pelos irmãos. É preciso socorrer os que estão passando por dificuldades, pois se não faz isso, não ama nem a Deus, nem ao irmão. Paulo escreve para a Igreja de Filipos dizendo: Esta é a minha oração: Que o amor de vocês aumente cada vez mais em conhecimento e em toda a percepção, para discernirem o que é melhor, a fim de serem puros e irrepreensíveis até o dia de Cristo, cheios do fruto da justiça, fruto que vem por meio de Jesus Cristo, para glória e louvor de Deus. Filipenses 1.9-11.

Em terceiro lugar, Perdão. O pecado danifica as relações entre as pessoas como prejudica a relação com o Criador. A pessoa contra quem se pecou frequentemente se sente ferida, talvez irada pela injustiça do pecado cometido. O perdão é necessário para a cura espiritual da relação, mas precisa preparar o coração para perdoar. Precisa aceitar a injustiça do ferimento, a deslealdade do pecado, e ficar pronto para perdoar. Mesmo se a pessoa que ofendeu se recusar a se arrepender, não se pode continuar a nutrir a ira, pois isso se tornará em ódio e amargura.

Ainda que a pessoa mantenha sua posição como transgressor por causa de sua recusa a se arrepender, seu pecado não deverá dominar o estado emocional do cristão. Jesus contou uma parábola sobre um servo que devia uma quantia enorme (10.000 talentos) ao seu rei. Ele era incapaz de pagar a dívida e implorou ao rei por compaixão. O rei perdoou-o por sua enorme dívida, mas o servo perdoado, prontamente saiu e encontrou um dos seus amigos que devia a ele uma quantia relativamente pequena e exigiu pagamento, agarrando-o pelo pescoço entregando-o à prisão. Quando o rei foi informado dos atos de seu servo incompassivo, irou-se e reprovou este servo, entregando-o aos torturadores até que ele pagasse totalmente sua dívida.

Os cristãos estão representados na parábola pelo servo que tinha uma dívida enorme. Não há comparação entre as ofensas cometidas contra Deus e aquelas que têm sido cometidas contra uma pessoa. Jesus disse que o Pai não perdoará se o cristão não perdoar os irmãos. Para perdoar precisa lembrar que todos são pecadores e necessitam do perdão divino. Pedro diz em sua epístola: Sobretudo, amem-se sinceramente uns aos outros, porque o amor perdoa muitíssimos pecados – 1 Pedro 4.8. Paulo ainda diz sobre o perdão o seguinte: Portanto, como povo escolhido de Deus, santo e amado, revistam-se de profunda compaixão, bondade, humildade, mansidão e paciência. Suportem-se uns aos outros e perdoem as queixas que tiverem uns contra os outros. Perdoem como o Senhor lhes perdoou – Colossenses 3.12-15

José depois de ter passado por um sofrimento grande no Egito, perdoou os seus irmãos, entendendo que Deus tinha os seus planos. Perdoar não é uma opção para o cristão, mas sim, é uma obrigação, é uma ordem de Deus. O cristão tem em Deus o exemplo máximo do perdão. Jesus quando estava sendo crucificado na cruz disse: Pai, perdoa-lhes porque não sabem o que fazem. Estevão quando estava sendo apedrejado pela turba assassina dos fariseus e escribas, clamou em alta voz: não lhes imputes esse pecado.

Para termos um ano novo abençoado por Deus precisamos pelo menos ter essas atitudes: A atitude de fé – crer e confiar cada dia mais, naquele que era, é e sempre será. O EU SOU. Atitude de amar – amar a Deus em primeiro lugar e amar o nosso próximo como amamos a nós. Atitude de perdão – Não guardar rancor, nem ódio, nem qualquer outro sentimento negativo contra o nosso próximo, mas sim, perdoar.

Que Deus nos ajude, FELIZ ANO NOVO!

 

Rev. Washington Paulo Emrich

Tagged , , , , , ,

Related Posts

Tags
Newsletter IPSW

Receba todos os posts da IPSW em seu e-mail assim que forem publicados!

Escreva seu e-mail abaixo: